sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

"O Racismo é um Camaleão Poliglota" é lançado, nacionalmente, em Brasília.


por Arísia Barros
O Racismo é um Camaleão Poliglota-Crônicas de Palmares/Alagoas é nosso segundo livro e tem o ousado papel de revelar, como raios-X, a intimidade da sutileza do racismo com o nosso dia-a-dia, em situações cotidianas.
As crônicas do livro "O Racismo é um Camaleão Poliglota" faz parte da Coleção Faces do Brasil, da Editora Ética 'foi' lançada nacionalmente, em Brasília, dia 15 de dezembro, no mesmo dia 'que marcou' a inauguração, na Fundação Cultural Palmares, da Biblioteca Oliveira Silveira, gaucho, professor, poeta e militante do Movimento Negro,  idealizador do Dia da Consciência Negra e o Arquivo da Fundação em sua nova sede, em Brasília.
Ambientadas, em sua maioria na terra de Zumbi, a República dos Palmares, em Alagoas, as crônicas se propõem a ir além do sentimentalismo lacrimejante, buscam inquietar o conservadorismo hierárquico da hegemonia androcêntrica do território de Cabral.
O racismo brasileiro tem um núcleo invariável: a opressão humana.
A apresentação do livro está  acargo da militante do movimento negro unificado e mestra em Educação pela Universidade Federal do Maranhão, Ilma de Fátima de Jesus que afirma:”Quando li os textos da professora, publicitária e escritora Arísia Barros pensei: o que ela escreve precisa ser publicado! São tantas verdades, tantas histórias reais do cotidiano da população negra e do nosso povo, que precisam ser compartilhadas.
A leitura das histórias promove um confronto do leitor consigo mesmo e com a memória da escravatura brasileira que nos deixou como legado o racismo visceral e latente.. São histórias que levadas para a sala de aula instigam para a reinterpretação da Lei nº 10.639/03”
Sobre a Coleção Faces do Brasil
A Coleção Faces do Brasil – História e Cultura é composta por 37 obras redigidas por professores, pesquisadores e escritores negros e indígenas de 14 estados brasileiros. Organizada pela professora Jacy Proença, ativista histórica do movimento negro brasileiro, a coleção é destinada a alunos do ensino fundamental e médio.
Sobre a Biblioteca Oliveira da Silveira
Com um acervo de aproximadamente 17 mil itens entre livros, folhetos, periódicos, imagens e CD-ROMs, a biblioteca abrirá suas portas para o público fazer pesquisas e consultar materiais diversos. Especializada em cultura afro-brasileira, o local reúne fotos, pinturas, cartazes e materiais museológicos, como arte quilombola, palharia, cerâmica e telas, que guardam parte da memória negra. Há ainda uma sala de vídeo com espaço para 16 pessoas e terminais para acesso à internet.

Nenhum comentário:

Nosso Coletivo Negro participa de programa da TV Bancários Web sobre o Mês da consciência negra

Mês da consciência é tema do TV Bancários Web desta sexta (24). Como convidado o programa  recebe Artur Antônio que além de bancário é ...